sexta-feira, 31 de agosto de 2012

debaixo da escada

Estamos finalizando uma reforma e entrega de marcenaria na casa de um cliente e vamos compartilhar com vocês um "cantinho problema".
Não estamos falando apenas deste apartamento em questão, e sim de todos que possuem escada. Sempre fica a pergunta no ar: O que fazer com os buracos debaixo das escadas?
Sinceramente, a gente gosta de fechar. Isso mesmo, sumir com eles. Alguns até permitem algum aproveitamento, mas a maioria é apenas um buraco.
Neste caso, conseguimos criar o "canto adega", porque era da vontade do cliente ter um cantinho assim, mas vocês poderão perceber que o tal "buraco" não foi totalmente utilizado.
Esse é o espaço antes da reforma:


Nós sugerimos um fechamento com Dry Wall (parede de gesso) na lateral e do topo da escada até o chão, e fizemos um recorte para encaixar uma peça de marcenaria para acomodar a adega climatizada. Encostado na parede veio um móvel de apoio, onde é possível acondicionar mais garrafas e acessórios próprios de quem é apreciados de vinhos. Vejam o resultado final (quer dizer, quase final porque o apartamento ainda não está pronto...rsrsrs).





segunda-feira, 27 de agosto de 2012

soluções estéticas

Já falamos muito de armários de banheiros, mas este aqui a gente acabou de receber da marcenaria. A bancada não era grande e a cuba, centralizada, impedia um desenho estético e funcional para o armário. O comum aqui seria fazer 2 portas pequenas à esquerda e gavetinhas à direita, certo? Não para nós... Optamos por uma porta maior e gavetas mais largas. Vocês devem estar se perguntando: Mas e onde está o sifão que não está atrapalhando tudo isso? 


A frente da gaveta é maior que a sua largura interna. Toda a parte hidráulica fica atrás daquele montante central. O desenho ficou mais leve e o espaço dentro do armário bem aproveitado!

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Quanto custa?

Esta é uma nova sessão que vamos estrear aqui no Blog. A grande maioria dos nossos clientes, ao fechar um projeto, faz a seguinte pergunta: "Vocês tem uma ideia de quanto vai custar esse projeto?" e a resposta é a mesma para todos:
"- depende de vocês."
A disponibilidade financeira é particular de cada um, os interesses são particulares, os desejos então... nem se fala!
Cabe ao profissional fazer determinadas alterações nas especificações para que um projeto se torne viável, caso os itens do projeto original custem muito além do que o cliente espera (ou pode) pagar.

Hoje o exemplo será os porcelanatos que imitam madeira de demolição. Várias fábricas já trabalham com este padrão de acabamento (algumas tentam e não conseguem, né??), então fica fácil fazer substituições:

esse é o Peroba Envelhecida Castanho 120x20 da Portobelo. O custo médio do m² é R$ 159,00  




esse é o da linha Native da Ceusa. As dimensões são 20,2x86,5. O custo médio é de R$ 110,00


Agora o da Ravena da Biancogrés. As dimensões são 26x106 e o custo médio de R$ 70,00


E, por último, o da Lanzi, o Pantanal Carvalho, com 25x91. Este custa R$ 60,00 em média.


Vamos ser francas: o da Portobello e o da Ceusa são os que tem a textura mais parecida com madeira de demolição. Tem gente que precisa por a mão para ter certeza que é porcelanato.

Na foto abaixo, utilizamos as peças da Ceusa para revestir a parede do fundo e a 1/2 parede da bancada.



sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Projeto

Terminamos, recentemente, um projeto de um apartamento de dimensões compactas. Foi tudo feito super bem planejado, inclusive economicamente, porque o casal estava de casamento marcado e essa é uma época de muitas despesas!
Tudo ficou pronto em um ano: do planejamento do projeto até o último vaso de flor!
O resultado vocês conferem agora.

para dar uma ampliada na sala, utilizamos do recurso do espelho. Fizemos uma paginação bem diferente, que enriqueceu a peça. As paredes foram pintadas de um tom de bege bem suave (Broto de Feijão - Suvinil). Optamos por colocar o sofá em verde oliva porque, apesar do casamento recente, eles já tem duas filhas adolescentes, e o batidão é pesado! Deixamos as cores fortes para as telas (todas da Lu Abreu).

Como o teto não foi rebaixado, utilizamos vários recursos para criar uma iluminação funcional e aconchegante (leia a postagem anterior). O pendente (Central Iluminação) tem o braço articulado e dessa forma conseguimos centralizá-lo na mesa de jantar, pois o ponto deixado pela construtora estava fora  do eixo. Utilizamos também uma peça para quatro lâmpadas dicróicas, que nos permite direcionar o facho para vários pontos. Na mesa lateral tem o abatjour (Vênica Casa) e ainda colocamos uma peça (Interpam) sobre a TV, mas que joga a luz apenas para cima e para baixo e não ofusca quem está assistindo. Todos com acionamento independente.


Os dois puffs tem a base mais firme que o convencional para que possam ser utilizados como assentos na mesa ou no estar no dia que eles receberem convidados.


A cortina (Ateliê Maria Laura) é leve para passar luz, mas preserva a privacidade do apartamento, pois ele é muito próximo da área de circulação do prédio.

 No dia que fizemos a entrega dessa jardineira postamos aqui. Essa varanda foi projetada para proporcionar alguns happy hours do casal, e a bancada, além de decorativa, serve de apoio quando a varanda vira espaço gourmet.


 O escritório também é quarto de hóspedes, então concentramos a bancada e um armário suspenso de um lado só. Na parede utilizamos o vermelho (Rubi da Suvinil) e uma persiana branca para contrastar.


O quarto das meninas ficou bem funcional, e, mesmo com as duas camas, foi possível criar um espaço com a cara delas. O primeiro ponto foi a cor da parede no fundo. Uma queria rosa, a outra queria tons mais escuros, tipo cinza, roxo... na mistura as duas concordaram em usar esse cinza com uma pitada lilás (Bodega da Suvinil). Para colocar os enfeites delas, fizemos uma montagem de caixas de madeira e espelhamos algumas.

A cabeceira tem 25 cm e foi possível desenvolver um baú atrás de cada cama onde ficam guardados cobertores, edredons...

e por fim o quarto do casal! O quarto foi todo pintado de verde (Fundo do Mar da Suvinil). Para a cabeceira elaboramos um painel com um nicho central onde foram dispostas várias molduras com fotos deles. A montagem dessas peças funciona como porta retratos. À medida que eles forem tirando novas fotos, é só trocar.

fotos: Juliana Faria

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Soluções de iluminação

Não é todo projeto que utilizamos o recurso do rebaixamento de teto. Às vezes os clientes não querem, às vezes o pé direito já está muito baixo e não dá para diminuir mais ainda... entre outros motivos. E o que fazer quando você só tem disponível dois pontos no meio da sala? Como criar uma iluminação eficiente e esteticamente bela e funcional no projeto?

Nesse caso a gente queria utilizar um pendente sobre a mesa, mas o ponto não estava centralizado. Para resolver essa questão, colocamos a peça "em balanço". Ainda para melhorar a eficiência e poder brincar com efeitos, utilizamos o recurso de um abatjour e de uma escultura com suporte para velas na parede.

Nessa sala havia dois pontos centrais e algumas arandelas próximas da mesa de jantar, mas o home estava meio apagado. A solução foi criar uma sanca no móvel, que além de criar um efeito surpreendente nele, não atrapalha e nem dá reflexo na hora de assistir um filme.

Existem diversas peças no mercado hoje que ajudam a criar efeitos diferentes de iluminação sem ser necessário rebaixar o teto. Alguns exemplos:



este tipo de peça pode ser utilizada com lâmpadas dicróicas, PAR 20, AR 70... a única observação que temos a fazer é que a iluminação é toda voltada para baixo, ou seja, o teto fica meio sombreado. Esse da foto é Mix da Interpam

É mais ou menos o mesmo tipo de peça da foto anterior, mas nele pode ser utilizado a lâmpada incandescente de 60w ou a eletrônica de 23w. Esse modelo é o Fox da Dimlux.


 E ainda existem os spots, que hoje tem uma cara mais simpática que antigamente... Mas a iluminação deles ainda é bem direcionada, o que faz com que a sala fique bem sombreada em alguns pontos. Esse é da Interpam.

A escolha das peças de iluminação é fundamental em um projeto. Vale a pena dar uma investida em peças diferenciadas para que o resultado final seja satisfatório.
Depois vamos fazer uma postagem sobre abatjoures e peças de chão. Também são soluções práticas para quem não vai rebaixar o teto!
Não tenho interesse em prejudicar ninguém, muito menos ferir direitos autorais. Se alguma foto que ilustra o blog é de sua autoria e não lhe foi dado o devido crédito, envie um email que terei prazer em mencionar. Caso você queira que a sua foto seja retirada, atenderei sua solicitação de imediato!